Comentários do post sobre "filmes na e para educação"

Breve resumo dos filmes que podem ser utilizados na e para a educação (veja a lista aqui). Ao final são apresentados pequenos comentários de nossa opinião sobre os filmes.

*Em constante atualização

Filme: Confiar (trust): O filme apresenta a história de Annie que ganha um notebook dos pais Will e Lynn. O casal está convencido de que havia criado seus três filhos em um ambiente aberto e saudável e que já poderia confiar em Annie. Quando Annie faz um novo amigo pela internet – um garoto de 16 anos chamado Charlie que ela conheceu num chat de relacionamento, Will e Lynn deram toda a atenção. Sentaram com a filha, conversaram sobre o assunto e viram as fotos que o menino tinha enviado. Quando Annie e Charlie marcam um encontro, sem que os pais dela saibam, o que acontecerá em apenas 24 horas irá mudar a família para sempre. O filme conta a história de uma família que passa por problemas depois que a filha de 14 anos conhece seu primeiro namorado pela internet. Annie conhece um garoto em um bate-papo na internet e se apaixona por ele. O problema é que, na verdade, o garoto é um homem muito mais velho, que a atrai para um encontro e se aproveita sexualmente dela. 

Comentário: Adolescentes são famosos pelo comportamento arredio e os pais estão longe do mesmo status por não conseguirem compreendê-los. Se tempos atrás criar filhos nessa fase não era fácil, nos dias de hoje com tanta modernidade, a missão tornou-se mais difícil. Confiar trata de um assunto extremamente atual e, sem fazer rodeios, esse suspense familiar tem tudo para deixar os pais com a pulga atrás da orelha e, tomara, os "filhinhos e filhinhas" também. Quem tem filho adolescente ou até criança, mas que já passa boas horas em frente ao computador sabe como é importante ficar atento ao que os filhos fazem na internet. O assunto é bastante presente na sociedade atual e vários filmes já falam sobre essa temática. Ressalto uma atenção especial para como Annie ficou encantada com o seu estuprador, chegando ao ponto de não acreditar, e nem aceitar, que ela foi enganada. Ela se dá conta de que foi enganada somente quando outros casos do estuprador é revelado a ela. Além disso, podemos perceber como o pai, Will, fica desestruturado emocionalmente com toda a situação. Filme interessante pelo conteúdo que é apresentado e pelas discussões que podem ser abordadas.


Filme: Cybernatural (Unfriended): Quando um vídeo constrangedor de Laura Barns cai na internet, a menina tira a própria vida no pátio da escola. Um ano depois, um grupo de seis amigos conversam via Skype e percebem que há uma sétima pessoa desconhecida na videoconferência, que revela ser sua ex-colega de classe, Laura, exigindo saber quem postou o vídeo que a levou à morte. Eles pensam que é uma brincadiera mas logo descobrem que há algo estrano, já que a menina começa a revelar os segredos dos amigos e os ameaça de morte. O filme é uma produção de alguns países: Rússia / EUA  / Polônia / Alemanha / Porto Rico.

Comentários: Os chamados desktopo horrors estão se tornando cada vez mais frequentes e Cybernatural (Unfriended) é mais um filme que chega para engrossar uma lista que já conta com produções com The Den e perseguição virtual (open Windowns). Como parte da proposta de todo filme nessa linha, a história aqui é inteiramente contada a partir do ponto de vista do desktop da jovem Blair e é através dele que acompanhamos o desenrolar de toda a trama e, consequentemente, o fatídico fim de seus amigos. Não há outro tipo de interação entre os personagens além da rede online e um dos pontos positivos que logo chama a atenção em Cybernatural é a utilização de mídias sociais como Skype, Facebook e Youtube, que, ao contrário de outros filmes que utilizam aplicativos fictícios, dão mais sensação de realidade e consequentemente, credibilidade ao filme. No filme temos a história de Laura Burns, que comete suicídio após sofrer cyberbullying de seus amigos. O filme, embora seja uma ficção apresenta alguns elementos interessantes sobre o cyberbullying e suas consequências. Conforme a trama se desenrola vamos vendo que cada personagem tem seu esqueleto no armário e quando a pessoa no chat começa a jogar uns contra os outros é que o filme realmente começa a ficar interessante. Conforme cada personagem vai sendo obrigado a revelar seus podres, o ambiente vai ficando mais caótico e tenso. Um detalhe podemos mencionar em relação ao nome do filme, Unfriended, pois ele mostra como muitas amizades são forjadas através de mentiras. Especialmente no mundo online. São verdadeiros castelos de areia capazes de desmoronar com apenas um mero copo d’água e o filme explora isso de forma clara, através da desconstrução da amizade desse grupo, deixando claro que o título no Brasil, Cybernatural, não foi uma escolha adequada.  O filme consegue produzir conteúdo suficiente para manter o espectador atento na história e faz uma representação perfeita de como a internet muda a forma de interagirmos uns com os outros. Entretanto, o suspense é totalmente focado nas intrigas e na desconstrução das amizades, enquanto o terror está no fato de ver uma pessoa testemunhar seus amigos morrendo ao vivo. O filme vale pelo conceito e pela análise social, não devendo esperar muito pelo seu final.


Filme: Hackers: Piratas de Computador: Dade Murphy é um hacker conhecido como Zero Cool que aos onze anos de idade invadiu 1507 computadores, inclusive o computador da Wall Street, causando uma queda de 7 pontos na bolsa em um único dia, sendo condenado até os 18 anos, a ficar longe de um computador ou telefone digital. Quando pode retorna aos computadores Dade utiliza o codinome Crash Override e se apaixona por Kate. Até que se depara com um gigantesco plano que, além de tornar o autor muito rico, pode incriminá-lo. Assim, com a ajuda de seus companheiros, ele tenta salvar sua pele. 

Comentários: O filme destaca os “primórdios” da computação, quando muitos termos técnicos eram utilizados pelos usuários dos computadores. Um filme atual quando foi lançado em 1995. Usava-se muitos termos técnicos como PCI, Núcleo, AGP, worm, vírus etc, até então pouco conhecidos pelos usuários, dava até para aprender um pouco mais sobre a "internet e o mundo Digital". Contudo, vinte anos depois, podemos considerar como um filme sobre a "história do computador, primórdios da internet e como falávamos (usuários da rede) nesse período". Um filme bom, sem levar em consideração a época que foi lançado, podemos perceber um pouco do submundo dos Hackers.


Filme: Homem Irracional: Em crise existencial, o professor de filosofia Abe Lucas chega para lecionar em uma pequena cidade dos Estados Unidos. Logo uma de suas alunas, Jill, se aproxima dele devido ao fascínio que sente pelo seu intelecto, além da tristeza que sempre carrega consigo. Simultaneamente, ele é alvo de Rita, uma professora casada que tenta ter um caso com ele. A vida começa a melhorar para Abe quando, numa ida à lanchonete com Jill, ouve a conversa de uma desconhecida sobre a perda da guarda do filho devido à uma decisão do juiz Spangler. Abe logo começa a idealizar o assassinato de Spangler e como, por ser um completo desconhecido, jamais seria descoberto. 

Comentários: O filme narra a história de um professor de filosofia, antes problemático e deprimido que se muda para uma cidade pequena para dar aulas na universidade, e que nos presenteia com questões sobre: a falta de um sentido para a vida; o desespero diante da consciência da morte; a infidelidade conjugal; as questões morais e éticas envolvidas num crime premeditado; e o papel subestimado do acaso e da sorte. Trata-se de um intelectual com conceitos negativos sobre a vida, especialmente com as lembranças que o importunam desde que pisou como jornalista no campo de uma batalha desumana e sem sentido. Sua citações de Kant, Kierkegaard e Heidegger, este último, base para o novo livro que tenta escrever sem muito sucesso, são emitidas em um tom fleumático, que escancara seu desalento em estar no mundo. Leitor de Dostoiévski, oscila entre a misantropia e pequenas concessões ao convívio social. Dentre tantas narrativas, Homem Irracional proporciona ao professor discutir questões sobre a ética, a moralidade e a influência do professor em seu meio.


Filme: Perigos da rede (Tal hot bond): Baseado em uma história real de Thomas Montgomery, um maquinista de 47 anos com um casamento problemático conhece Katie na internet. Thomas diz que tem 18 anos e estará indo para o campo de treinamento da Marinha. O relacionamento deles rapidamente se torna sexo cibernético e um noivado. A verdade acaba sendo revelada e quando Katie embarca em outra relação na Internet com o colega de trabalho de Thomas, todas as três vidas reais e cibernéticas começam a colidir.

Comentários: O filme relata uma história real, não apenas do Thomas, mas de muitas pessoas que acabam presos aos “sentimentos” no virtual. O filme é interessante para (re)lembrar as pessoas que nem sempre o que as pessoas dizem que são na rede é verdade. O login de Thomas, Fuzileiro naval (Marine Sniper) e de Katie, loira, Alta e gostosa (Tal hot bond) revelam um pouco como as pessoas buscam mostrar na rede “desejos ocultos” do que gostariam de ser. O filme também apresenta de forma tão simples, mas bem real a dependência psicológica que muitos têm na rede. Detalhe para a frase dita pelo delegado no filme é bastante interessante: “Você não é o único que mente na internet”. Infelizmente muitos mentem, por diversos motivos, nem tudo que é postado na rede é verdadeiro, mas por que as pessoas acreditam nessas falácias? Um filme interessante para uma boa discussão em casa, na escola, no trabalho, enfim, em todos os ambientes, já que a internet, em especial as redes sociais, fazem parte de nossas vidas. 


Filme: Perseguição (Ratter): Emma vive em Nova York e está sempre conectada nas redes sociais e usa constantemente o seu computador e smartphone. Certa noite, ela começa a receber estranhas ligações e mensagens e passa a ser aterrorizada por uma pessoa misteriosa que a espia pela webcam do computador pelo seu console e por qualquer aparelho que estivesse conectado à Internet. 

Comentários: O filme relata algo comum em nossa geração conectada e vulnerável. Somos vigiados constantemente, e quando a observação deixa de ser apenas a distância? É isso que acontece com Emma, quando o hacker para de sentir satisfação em apenas observar e vai atrás dela. Um filme que permite discutirmos o quão estamos desprotegidos na rede mundial de computadores. Estamos num momento em que o medo da internet está presente na vida de muitos, o cyber stalking (perseguição na internet) tem sido nos últimos anos bastante discutido em filmes. Em um primeiro momento, Emma não percebe nada de errado, mas hacker começa a tornar-se mais audacioso, assim ele apaga fotos e e-mail. É preciso destacar que o filme é “lento” em boa parte, sendo os últimos 20 minutos onde o suspense do filme aparece. Ao final, a lição que temos é sobre o quão facilmente nossas vidas estão sob ameaças de psicopatas com habilidades em computação.